O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta terça-feira, 30, que a economia “voltou em V” e que os investimentos estão retornando. Ressaltando avanços, Guedes disse que “colocar a economia em pé novamente” foi “muito difícil” e criticou o jogo político.

“Guerra política prejudica”, afirmou o ministro da Economia, que apontou “padrões preocupantes” na arena política. “Pessoas estão perdendo sensatez, criaram bolhas de ódio”, disse.

Em participação no 93º Encontro Nacional da Indústria da Construção (Enic), o ministro comentou a atuação da oposição: “Vai que a direita perde e resolve se comportar da mesma forma e faz isso, pede impeachment todo dia? Tinha gente subindo em cadáver na pandemia”, afirmou Guedes.

Guedes destacou também que todas as arrecadações neste ano estão batendo recordes e elogiou a atuação do setor de construção civil durante a pandemia. “A construção criou emprego e manteve atividade durante a pandemia. Então foi um setor absolutamente exemplar, protegido com práticas de segurança, trabalhou, criou empregos, renda, e continua crescendo”, completou.

Ele deu destaque ainda ao setor de serviços e à retomada da economia com a reabertura pós-covid: “O setor de serviços está voltando, voltando turismo, o Brasil está condenado a crescer”, continuou o ministro.

Para Guedes, o Brasil estava sem crescer nos últimos 30 anos, e, apesar disso, os problemas caíram na “conta do governo Bolsonaro“. “Está havendo desmatamento há 30 anos, País não cresce há 30 anos. O Brasil praticamente parou e agora a conta é do governo Bolsonaro. Ainda pegamos uma covid”, completou o ministro.

Reformas

O ministro da Economia voltou a mostrar sua frustração por não conseguir emplacar todas as reformas prometidas quando entrou no comando da pasta. “Esse negócio de chegar e chutar a porta, visão romântica, não consegue mudar tudo porque é toda uma configuração”, disse Guedes. “Evidentemente nos frustra chegar com grandes sonhos e fazer 50% ou 40%”, continuou.

Na fala, Guedes recordou a aprovação da reforma da Previdência, afirmando que tinha o apoio do presidente Jair Bolsonaro, mas que o chefe do Executivo não queria o desgaste com as mudanças na regra de aposentadoria.

O ministro da Economia ainda criticou o que classificou de “injustiças” feitas contra membros do governo, incluindo ele. “Criaram personagens que não existem, não existe a pessoa que dizem quem sou, aí vi a injustiça feita com membros do governo. Eu acredito no aperfeiçoamento das instituições, na Câmara, Senado, Presidência, STF, na mídia, que é o quarto poder”, afirmou Guedes, relembrando episódios em que foi criticado por declarações, como a envolvendo viagens de empregadas domésticas para a Disney, situação que, para o ministro, foi distorcida.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).