SÃO PAULO (Reuters) – O Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) do Brasil deverá atingir um recorde de 1,11 trilhão de reais em 2021, impulsionado pelos fortes aumentos nos preços reais de arroz, milho, soja e carne bovina, disse o Ministério da Agricultura nesta segunda-feira.

A estimativa representa alta de 11,8% em relação ao dado de 2020, e também fica acima da marca projetada pelo governo federal no mês passado para 2021, que atingia 1,076 trilhão de reais.

A pasta projetou um aumento de 15,8% no VBP das lavouras, diante de acréscimos significativos nas estimativas para soja –principal produto de exportação do Brasil, que deve apurar alta de 31,9%–, milho (+20,3%) e trigo (+35,1%).

Já a pecuária deve verificar avanço de 3,8% na comparação anual. Tanto lavouras quanto pecuárias, disse o ministério, atingirão os maiores patamares da série histórica de 32 anos.

Segundo a pasta, o crescimento do VBP pode ser atribuído ao desempenho visto como “excepcional” das exportações de soja e carnes, além dos preços favoráveis e à safra de grãos, mesmo diante dos impactos da seca sobre a produção.

“Apesar de terem existido períodos de seca que afetaram lavouras, como milho e feijão, os preços têm contribuído para reduzir esse impacto”, afirmou a pasta em nota, destacando que a segunda safra de milho foi especialmente prejudicada. “Esses efeitos foram sentidos, principalmente, no Paraná e em Mato Grosso.”

No front negativo, o coordenador de Avaliação de Políticas e Informação da Secretaria de Política Agrícola do ministério, José Garcia Gasques, fez menção a grupos como café (-17,7%), laranja (-5%) e suínos (-3,8%). Segundo ele, esses impactos decorrem de menores preços ou menores quantidades produzidas.

(Por Gabriel Araujo)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).