ROMA (Reuters) – Os líderes financeiros mundiais discutirão na quarta-feira como coordenar políticas para evitar que suas economias afetadas pelo novo coronavírus saiam da recessão em ritmos muito diferentes, disseram autoridades antes da reunião virtual.

Quando os ministros das Finanças e presidentes de bancos centrais das 20 principais economias do mundo realizarem a videoconferência, a resposta irregular à atual crise da Covid-19 estará no topo de suas agendas, disseram autoridades da presidência italiana.

“Os primeiros sinais são desiguais, algumas economias estão se recuperando bem e outras estão ficando para trás. Isso é algo que está atrapalhando as perspectivas econômicas globais”, disse uma autoridade.

Os índices de imunização contra a Covid-19 variam amplamente, com Reino Unido e Estados Unidos superando de longe a maioria dos países da União Europeia (UE), da Ásia e especialmente da África.

“No momento, o principal instrumento de política econômica são as vacinas”, disse o funcionário, observando que os Estados Unidos também estão adotando um grande estímulo fiscal, o qual analistas esperam que leve a uma recuperação mais rápida.

Segundo as fontes oficiais, o G20 vai manter o compromisso de chegar a um acordo sobre os níveis mínimos de tributação corporativa e tributação de gigantes da internet até meados do ano e também se concentrará no alívio da dívida para os países pobres.

(Por Gavin Jones e Giuseppe Fonte)

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda de 2021? Mande sua pergunta por e-mail (faleconosco@6minutos.com.br), Telegram (t.me/seisminutos) ou WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).