O acordo comercial da União Européia com os países do Mercosul não será ratificado até que haja avanços nas normas de mudança climática, desmatamento e segurança alimentar, segundo um funcionário do governo de Emmanuel Macron na terça-feira.

O oficial francês, que preferiu não ser identificado de acordo com as regras do governo, disse que o negócio não era aceitável como está agora e que deve cumprir os compromissos do Acordo Climático de Paris 2015.

Nota conjunta do ministério das Relações Exteriores e da Agricultura do Brasil afirma que o referido acordo não representa qualquer ameaça ao meio ambiente, à saúde humana e aos direitos sociais. “O Brasil já mostrou que é capaz de aumentar sua produção de carne, soja e milho ao passo em que diminui o desmatamento”, acrescentando que as acusações da França são motivadas por preocupações protecionistas.

Antes da cúpula da União Européia que começa quinta-feira, a autoridade também disse que o projeto de lei do Reino Unido sobre os mercados internos estava minando a credibilidade do país nas negociações do Brexit. O projeto foi criticado por funcionários da UE por contradizer os compromissos assumidos pelo Reino Unido no acordo de retirada.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).