O grupo de medicina diagnóstica Fleury teve lucro líquido de R$ 118,6 milhões no primeiro trimestre, mais que o dobro do obtido no mesmo período do ano passado, impulsionado por avanço no número de exames eletivos além de demanda por testes de Covid-19.

A companhia apurou uma geração de caixa medida pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) de R$ 285,5 milhões de janeiro ao fim de março, um salto de 45,7% no comparativo anual. A margem subiu 27,4% para 31,9%.

A empresa, que atravessa processo de crescimento orgânico e via aquisições para montar uma plataforma de saúde que inclui telemedicina e ofertas a consumidores, realizou 597 mil exames para detecção de Covid-19 no trimestre enquanto as consultas online somaram mais de 300 mil.

O faturamento líquido do primeiro trimestre cresceu 25,2%, para 893,8 milhões de reais. A margem líquida subiu cerca de cinco pontos percentuais, para 13,3%.

Segundo o Fleury, os exames de Covid-19 foram responsáveis por 9,7% da receita bruta total no primeiro trimestre ante 11,1% no quarto trimestre.

Enquanto isso, o custo de serviços prestados recuou como percentual da receita líquida de 73,7% no primeiro trimestre do ano passado para 67,9% nos três meses encerrados em março. Já as despesas operacionais, também em relação ao faturamento líquido, recuaram de 11% para 9,9%.

A companhia afirmou no balanço que iniciou em fevereiro testes de sua plataforma de serviços de saúde voltada a consumidores. A estratégia inclui oferta de planos mensais, semestrais ou anuais que darão direito a consultas via telemedicina, exames de rotina e descontos em medicamentos, afirmou o Fleury no balanço.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).