A semana conta com uma divulgação importante para quem está preocupado com inflação de setembro. O IPCA de setembro será divulgado na sexta-feira pelo IBGE.

O mercado acompanha com atenção a divulgação do IPCA, porque um dos indicadores que norteiam a política monetária é a inflação. O problema é que ela vem subindo mais rapidamente do que o esperado.

Na sexta-feira, o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, reconheceu que o núcleo da inflação está muito acima da meta, com disseminação nos preços, mas frisou que a autoridade monetária está agindo e que não acredita em ajustar metas de inflação, mas em atingi-las.

“Selic será o que tiver que ser para atingirmos a meta”, afirmou ele em webinar promovido pelo Morgan Stanley.

Em agosto, os combustíveis pesaram no bolso em agosto e levaram o IPCA a registrar alta de 0,87%, a maior para o mês em 21 anos. A taxa acumulada em 12 meses até agosto ficou em 9,68%, número bem acima do teto da meta oficial para 2021, de 5,25%.

Radar corporativo: empresas para ficar de olho

Banco Inter

O Banco Inter informou que antecipou a divulgação de sua prévia operacional do terceiro trimestre para 4 de outubro, antes da abertura do mercado. O lucro líquido da instituição foi de R$ 18,2 milhões no segundo trimestre, um resultado quase sete vezes superior aos R$ 2,7 milhões registrados um ano antes. Naquele trimestre de 2020, o banco digital voltava a ficar no azul, após prejuízo de R$ 8,44 milhões apurados nos três primeiros meses do ano.

Fusão Localiza e Unidas

O Tribunal do Cade deve divulgar sua decisão sobre o acordo entre Localiza e Unidas na quarta-feira (6), embora prazo final para deliberação do órgão sobre a fusão possa ser estendido até janeiro de 2022. Em um documento divulgado no início de setembro, o Cade afirmou que a concentração das operações “gera riscos relevantes para o ambiente competitivo no mercado de locação de veículos (RAC)”. De acordo com a autarquia, a concentração no RAC seria de 70% após a fusão das duas empresas.

IPO da Environmental ESG

A definição de preço por ação em IPO da Environmental ESG Participações está marcada para a quinta-feira (7 ). A empresa, que pertence à Ambipar, pretende levantar R$ 3 bilhões para aquisições e reforço de caixa.  A Environmental ESG adquiriu 11 companhias nos últimos meses, gerando custos e despesas extraordinárias. Para arcar com os gastos, a empresa captou recursos com instituições financeiras e aumentou o endividamento, que agora espera reduzir com os recursos do IPO. A faixa indicativa para o preço das ações ficou entre R$ 15,50 e R$ 20,50.

Licitação da ANP

A 17ª rodada de licitação de blocos de petróleo e gás natural pela ANP (Agência Nacional de Petróleo) também acontece na quinta-feira. A ANP vai ofertar 92 blocos localizados nas bacias de Campos, Pelotas, Potiguar e Santos. A expectativa da agência é que a assinatura dos contratos de concessão aconteça em 31 de março de 2022.

PetroRio 

Na semana passada, as ações da PetroRio disparam em meio a especulações sobre a compra dos campos de Albacora e Albacora Leste. Juntos, eles compõem o maior desinvestimento da Petrobras desde 2017, quando a estatal vendeu a participação em seu campo de Roncador para a Equinor por US$ 2,9 bilhões. A companhia deve anunciar o consórcio vencedor até o final desta semana.

IPO da Comerc

A comercializadora de energia Comerc define preço por ação em IPO na sexta-feira (8). A companhia poderá levantar R$ 1,591 bilhão, considerando o meio da faixa indicativa, que vai de R$ 16,87 a R$ 18,56. Os recursos serão utilizados para financiar projetos de expansão em geração centralizada e distribuída de energia e no segmento de novas soluções.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).