O temor da nova variante do coronavírus sacudiu os mercados mundiais na sexta-feira. Bolsas americanas, europeias e asiáticas fecharam em queda. No Brasil não foi diferente: a bolsa derretou 3,39%, chegando aos 102.224 pontos.

“As ações estão reagindo negativamente porque não se sabe nesse momento quanto as vacinas serão efetivas contra a nova cepa, e, portanto, isso aumenta o risco de novos lockdowns”, disse Peter Garnry, chefe de estratégia de ações do Saxo Bank.

Durante o fim de semana, a OMS (Organização Mundial de Saúde) confirmou que ao menos 12 países (África do Sul, Austrália, Botsuana, Reino Unido, Dinamarca, Canadá, Holanda, República Tcheca, Bélgica, Israel, Alemanha e Itália) e um território (Hong Kong) registraram a presença da ômicron.

Empresas ligadas ao turismo estão entre as que mais tiveram seus ativos desvalorizados. O medo é que as fronteiras voltem a ser fechadas. Na sexta, a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, pediu a suspensão de viagens aéreas para lugares onde a nova variante for detectada. Muitos países, incluindo o Brasil, decidiram barrar voos provenientes de países africanos.

Veja o que mais pode afetar o mercado nesta segunda-feira:

PEC dos Precatórios

A PEC dos Precatórios volta ao radar dos investidores nesta semana. O plano inicial do governo era aprovar o texto na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado e no plenário ainda nesta semana. Mas os pedidos de ajustes no texto podem atrasar esse cronograma.

O MDB, por exemplo, ficou de analisar até hoje o texto apresentado na semana passada para sugerir mudanças.

IGP-M

O IGP-M será divulgado às 8h pela FGV. Em outubro, ele subiu 0,64%. A expectativa da LCA é que ele desacelere para uma alta de 0,20% em novembro.

Vale

A Vale realiza evento anual com investidores.

(Com Reuters)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).