Um dos setores mais afetados pela crise gerada pela pandemia, as academias terão de limitar novamente o horário de funcionamento em São Paulo a partir desta quarta-feira (dia 02). Com a volta para a fase amarela, as academias poderão funcionar 10 horas por dia com 30% da capacidade.

Para a Competition, esse retrocesso não faz sentido. “É necessário que o governo de São Paulo visualize que somos um serviço essencial, como já aconteceu no RJ e na esfera federal.”

Se a mudança de classificação fosse atendida, o setor de academias não poderia parar de funcionar, como acontece com supermercados e farmácias.

Em defesa desse argumento, a Competition diz que a “atividade física regular fortalece a imunidade, preserva a saúde física e mental de seus praticantes e previne doenças”.

Sobre a questão de prevenção da covid-19, a rede informa que seus ‘estabelecimentos seguem rigorosos protocolos de segurança, como limpeza frequente, limitação do número de frequentadores, demarcação de distanciamento, controle de quem entra’.

“Somos aliados no combate à Ccovid-19, precisamos de ampliação da nossa capacidade de atuação, e não de maior restrição. Estas medidas são importantes, inclusive, para a preservação deste setor que contribui para a redução com os custos com saúde, que é indispensável para a saúde e bem-estar e que já foi bastante sacrificado com extensos períodos de fechamento.”

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).