Por Aluisio Alves

(Reuters) – A fabricante catarinense de implementos rodoviários Librelato pediu nesta sexta-feira o registro para sua oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês), tentando buscar recursos para investimentos e aquisições, ampliando a concorrência com sua rival listada Randon.

A empresa se apresenta como terceira maior para implementos de linha pesada do país, com foco no agronegócio e atende também clientes industriais como Votorantim, Ambev, JSL e Suzano.

A Librelato teve resultado operacional medido pelo lucro antes de impostos, juros, depreciação e amortização (Ebitda) de 138,6 milhões de reais no ano passado, alta de 23,7% sobre 2019.

No prospecto preliminar enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a companhia diz que pretende usar os recursos da venda de ações novas para investir no aumento da capacidade instalada e para potenciais aquisições de empresas.

Na operação, que será conduzida por Itaú BBA, Bradesco BBI e BTG Pactual, atuais sócios, incluindo Librelato Participações, VGL Administração de Bens e a acionista pessoa física Vitória Ghisoni Librelato venderão uma fatia no negócio.

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda de 2021? Mande sua pergunta por e-mail (faleconosco@6minutos.com.br), Telegram (t.me/seisminutos) ou WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).