Por Nayara Figueiredo

SÃO PAULO (Reuters) – As exportações brasileiras de carne bovina devem avançar 2% neste ano, para 2 milhões de toneladas, estimou nesta quarta-feira a consultoria Athenagro, apesar da suspensão temporária de embarques para o principal comprador, a China.

Isso porque o Brasil já vinha exportando a proteína ao longo de todo o ano, até agosto, antes da paralisação de negócios com a China no início de setembro, em um patamar mais elevado que o registrado em 2020.

Para o CEO da Athenagro, Maurício Palma Nogueira, a suspensão chinesa é uma questão pontual. A medida veio após a confirmação de dois casos atípicos da doença “mal da vaca louca”, que não oferecem risco ao rebanho.

“Estamos em um ritmo mais forte (de exportação no ano)… Na hora que projetamos tudo isso, a gente acredita que vá ter esse aumento nos embarques de 2021”, afirmou o executivo durante coletiva de imprensa sobre a expedição Rally da Pecuária, da qual a consultoria é parceira.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).