Por Liz Hampton e Devika Krishna Kumar

(Reuters) – A trader mundial de commodities Mercuria está expandindo agressivamente o seu negócio de transição energética, contratando funcionários das grande petroleiras BP e Shell, de acordo com três fontes familiarizadas com o assunto e perfis de funcionários no LinkedIn.

As contratações ilustram a pressa da indústria de energia de recrutar equipe com conhecimento do comércio de carbono e combustíveis renováveis, com a transição mundial por fontes de energias limpas no meio de uma luta contra as mudanças climáticas.

Empresas de investimentos e mercados de commodities, incluindo o fundo de hedge Citadel, Gunvor Group e Trafigura , reforçaram e estão buscando expandir as equipes dos EUA que se especializam no comércio de combustíveis renováveis.

A Mercuria com sede em Genebra contratou pelo menos cinco ex-funcionários da BP e dois da Shell. A maioria entrou neste mês, de acordo com seus perfis no Linkedin.

A Mercuria afirmou que não comentaria sobre questões pessoais. A empresa comercializa biocombustíveis desde 2006 e é proprietária e opera uma instalação europeia de produção de biodiesel a partir de óleo de cozinha usado.

BP e Shell não responderam imediatamente a pedidos de comentários.

Zach Scott, ex-chefe de comercialização de baixo carbono da BP, integrou à equipe da Mercuria nos Estados Unidos neste mês como chefe do meio ambiente das Américas, de acordo com seu perfil no LinkedIn. Harrison Clay, ex-vice-presidente de desenvolvimento estratégico de produtos ambientais globais da BP, ingressou como chefe de transição energética e biogás da Mercuria, de acordo com uma pessoa e seu perfil no LinkedIn.

Scott e Clay não comentaram seus movimentos.

(Reportagem Adicional de Julia Payne em Londres)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).