A prorrogação do auxílio emergencial até dezembro vai levar em conta novos critérios de pagamento. Isso significa que pessoas que receberam as cinco primeiras parcelas de R$ 600 podem ficar de fora do pagamento das quatro restantes, de R$ 300 cada uma.

De quanto vai ser o corte? O auxílio tinha um custo mensal de R$ 50,8 bilhões. Com as mudanças de regras, a despesa com o benefício cairá para R$ 16,9 bilhões.

O que significa isso? Se a redução levasse em conta apenas a diminuição da parcela de R$ 600 para R$ 300, o desembolso cairia para R$ 25,4 bilhões. Como a despesa cairá para R$ 16,9 bilhões, essa diferença de R$ 8,5 bilhões refere-se aos pagamentos que deixarão de ser efetuados na nova etapa.

De quanto será o custo do auxílio? Com a prorrogação, o custo total será e R$ 321,8 bilhões em 2020.

Quem deixará de receber o auxílio? São várias situações que levam à perda do auxílio. Veja abaixo:

Rendimentos recebidos em 2019

Antes, a regra levava em conta os rendimentos obtidos em 2018. Agora, o que vale são os dados de 2019. Serão excluídos do pagamento quem recebeu rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70; possui bens ou direitos, incluída a terra nua, de valor total superior a R$ 300 mil; tenha recebido rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma tenha sido superior a R$ 40 mil.

Declaro como dependente

A nova regra também exclui do pagamento de R$ 300 as pessoas que foram incluídas como dependentes na declaração do Imposto de Renda da Pessoa Física de 2019, na condição de cônjuge, companheiro, filho ou enteado menor de 21 anos ou menor de 24 anos que esteja estudando.

Parente de mãe chefe de família

Pela regra anterior, a mãe chefe de família podia receber R$ 1.200 e o parente mais R$ 600m caso se enquadrasse no pagamento. Agora, só a mulher continua recebendo, mas com o corte de 50% (R$ 600).

Começou a receber depois

O benefício acaba em dezembro deste ano. Então quem começou a receber em abril, terá direito às quatro parcelas. Mas quem passou a receber a partir de julho, por exemplo, terá direito a apenas uma parcela do novo benefício, que será paga no mês de dezembro.

Vínculo empregatício

Pessoas que foram contratadas com carteira assinada perdem direito ao pagamento do auxílio.

Recebimento de benefícios do governo

Essa regra já existia e foi reforçada. Ficam foram pessoas que obtiveram benefício previdenciário ou assistencial, do seguro-desemprego ou de programa de transferência de renda federal no período.

Detentos

Também já eram proibidos de receber o auxílio

Brasileiros que moram no exterior

Reportagens mostraram que brasileiros que moravam no exterior estavam recebendo o benefício.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu WhatsApp? É só entrar no grupo pelo link: https://6minutos.uol.com.br/whatsapp.