O ex-ministro Gustavo Bebianno morreu aos 56 anos após ter sofrido um infarto fulminante na madrugada deste sábado em seu sítio em Teresópolis, na região serrana do estado do Rio de Janeiro. Coordenador da campanha de Jair Bolsonaro em 2018, Bebianno era pré-candidato a prefeito do Rio pelo PSDB.

As informações são do presidente estadual do PSDB no Rio, o empresário Paulo Marinho. Bebianno estava em casa com seu filho quando se sentiu mal, por volta das 4h. Ao ir ao banheiro para tomar um remédio, ele desmaiou. Bebianno foi levado para um hospital da cidade, onde morreu.

Pelo seu papel de braço-direito de Bolsonaro ao longo da campanha, Bebianno assumiu ainda em 2018 a presidência do PSL (Partido Social Liberal). Com a vitória do capitão reformado, ele foi convidado para assumir a Secretaria-Geral do futuro governo, com status de ministério. Mas foi o primeiro ministro a deixar o governo, ainda em fevereiro de 2019, depois de conflito com Carlos Bolsonaro, um dos filhos do presidente.

Graduado em direito pela PUC-RJ, Bebianno fez carreira como advogado e administrador antes de entrar na política. Trabalhou muitos anos em um dos maiores escritórios de direito do país, o Sergio Bermudes.

(Com Estadão Conteúdo)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).