Por Saikat Chatterjee

LONDRES (Reuters) – A operadora pan-europeia de mercado financeiro Euronext disse nesta quinta-feira que resolveu falhas técnicas que impediram a negociação de derivativos de índice por quase quatro horas no início do dia.

A Euronext, que administra mercados de ações de Paris, Milão e Amsterdã, entre outros, disse que os contratos de derivativos de índice anteriores foram suspensos, embora a negociação em outras áreas não tenha sido afetada e siga normalmente.

A última falha nos derivativos de índice acontece num momento sensível para a empresa, que controla quase um quarto do fluxo de negociação de ações na Europa após a aquisição bem-sucedida da Borsa Italiana, no ano passado.

É a segunda interrupção desse tipo neste ano, além de uma paralisação mais generalizada em outubro de 2020, quando uma interrupção nos derivativos e na negociação à vista de Dublin e Paris forçou investidores ficarem esperando por horas.

A Euronext disse que a causa da interrupção foi resolvida e a negociação e o processo de pós-negociação em outros segmentos voltaram ao normal, sem detalhar a causa da interrupção.

Quando as interrupções atingem os mercados dos EUA, os investidores podem migrar suas negociações para outras bolsas, mas a Europa não tem nenhum sistema de backup em vigor e o problema se tornou mais urgente à medida que as bolsas em toda a Europa embarcaram em uma onda de consolidação. A Euronext opera seis dos principais mercados de ações da região.

Embora a negociação de ações também possa ser feita em outras plataformas, como Cboe Europe, Aquis e Turquoise, os traders geralmente usam a Euronext como mercado de referência.

Normalmente, os contratos de derivativos são negociados em uma única bolsa, mas cada vez mais outros operadores também estão disputando uma fatia do bolo. A Cboe Europe, a maior operadora local alternativo do continente, planeja lançar uma bolsa de derivativos de ações na Europa em setembro.

A Cboe não quis comentar.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).