SÃO PAULO (Reuters) – As elétricas Equatorial Energia, CPFL Energia e um fundo norte-americano acessaram a sala virtual com informações sobre o processo de privatização da distribuidora de eletricidade estatal CEEE Distribuição, controlada pelo governo do Rio Grande do Sul, disseram à Reuters duas fontes com conhecimento do assunto.

O leilão de desestatização da CEEE-D está agendado para 3 de fevereiro, em sessão pública, mas interessados na compra da empresa precisarão entregar propostas e garantias em 29 de janeiro.

A sala de informações virtual (data-room) com dados sobre a empresa e o processo de venda ficará aberta até 26 de janeiro, segundo informações do edital da privatização, que tem sido conduzida pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

“É quase a mesma turma que participou do leilão da CEB-D, os mesmos interessados. Equatorial, CPFL”, disse uma das fontes, que falou sob a condição de anonimato, porque as informações são sigilosas.

A fala faz referência à licitação para venda da unidade de distribuição da Companhia Energética de Brasília (CEB-D), controlada pelo governo do Distrito Federal, realizada em dezembro.

A empresa foi arrematada pela Neoenergia, por 2,5 bilhões de reais. Equatorial Energia e a CPFL, controlada pela chinesa State Grid, também fizeram propostas pela empresa.

A fonte acrescentou que um fundo de infraestrutura norte-americano também acessou o data-room, enquanto há alguma expectativa de que a Neoenergia possa também avaliar o negócio.

A Neoenergia, no entanto, ainda não acessou os dados sobre a privatização até o momento, disse a segunda fonte, que também confirmou o nome dos demais interessados.

“Eles ainda têm que ‘digerir’ a CEB”, comentou.

A Equatorial informou que não iria comentar. Já a CPFL não respondeu imediatamente a pedido de comentários.

A CEEE-D, responsável pela distribuição de energia em parte do Rio Grande do Sul, será vendida por um preço mínimo praticamente simbólico de 50 mil reais, uma vez que a companhia acumulava patrimônio líquido negativo após dívidas bilionárias em pagamento de ICMS.

(Por Luciano Costa)

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda de 2021? Mande sua pergunta por e-mail (faleconosco@6minutos.com.br), Telegram (t.me/seisminutos) ou WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).