RIO DE JANEIRO (Reuters) – A Engie Brasil Energia prevê que o GSF (nome técnico para risco hidrológico) se agrave ainda mais nos próximos meses, devido a um cenário de baixas chuvas em reservatórios, o que requer desafio na gestão do portfólio, afirmou nesta quinta-feira o diretor financeiro da companhia, Marcelo Malta.

“Essa hidrologia é uma das piores da série histórica, então realmente a questão é muito grave, isso requer um tremendo de um desafio para o nosso pessoal de gestão de portfólio”, afirmou Malta, durante apresentação dos resultados do primeiro trimestre a analistas e investidores.

“Nossa expectativa para os próximos meses é que o GSF se agrave ainda mais… Nós temos bastante experiência, capacidade de fazer projeções que a gente tem verificado muito próximas da realidade e isso nos dá tranquilidade de que conseguiremos fazer essa gestão de forma adequada.”

(Por Marta Nogueira)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).