WASHINGTON (Reuters) – As novas encomendas de produtos feitos nos Estados Unidos aumentaram mais do que o esperado em janeiro, apontando uma recuperação sustentada na manufatura, mesmo com a desaceleração do ritmo dos gastos das empresas com equipamentos.

Os pedidos à indústria em janeiro foram impulsionados pela forte demanda por equipamentos, aparelhos e componentes elétricos, bem como metais primários e produtos de metal fabricados.

O Departamento de Comércio informou nesta quinta-feira que os pedidos às fábricas cresceram 2,6%, após alta de 1,6% em dezembro. Economistas ouvidos pela Reuters previam elevação de 2,1%. Os pedidos aumentaram 1,3% em relação a um ano antes.

A manufatura, que responde por 11,9% da economia dos EUA, tem sido impulsionada pela forte demanda por bens, como eletrônicos e móveis, já que 23,2% da força de trabalho está em casa por causa do coronavírus. A demanda pode, no entanto, retornar ao setor de serviços no verão (nos EUA), à medida que mais norte-americanos forem vacinados e diminuir a atividade manufatureira em relação aos níveis atuais.

Uma escassez global de chips semicondutores –que na quarta-feira forçou a General Motors Co a estender os cortes de produção em sua fábrica em Fairfax, Kansas– pode desacelerar o ímpeto. Mas a perspectiva para a manufatura permanece sólida, com o índice ISM de atividade fabril nacional batendo em fevereiro uma máxima em três anos.

(Por Lucia Mutikani)

((Tradução Redação São Paulo, 55 11 56447757)) REUTERS JCG

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda de 2021? Mande sua pergunta por e-mail (faleconosco@6minutos.com.br), Telegram (t.me/seisminutos) ou WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).