O novo procurador-geral da República (PGR), Augusto Aras, pregou a união do Ministério Público e delimitou algumas diretrizes de sua gestão à frente do órgão, como a contribuição para o desenvolvimento da economia. A mensagem de Aras, que toma posse oficialmente na próxima quarta-feira (dia 2), foi transmitida em um vídeo gravado neste fim de semana e distribuído para o público interno da instituição.

Ao falar de seus planos na economia, Aras mencionou a bandeira do liberalismo pregada pela equipe econômica do governo Jair Bolsonaro, sob o comando do ministro Paulo Guedes.

O que exatamente disse Aras? “Pretendemos (…) dar nossa contribuição para o desenvolvimento da economia, procedendo de forma prévia aos estudos, sejam aqueles que digam respeito à busca de uma economia informada pela liberdade econômica em todas as suas dimensões, seja de proteção ao meio ambiente através do desenvolvimento sustentável, seja de proteção às minorias”, afirmou.

Qual o contexto? Muitos projetos importantes para a economia, como a reforma trabalhista e concessões de projetos de infraestrutura, que podem estimular investimentos privados, são frequentemente questionados ou paralisados por membros do Ministério Público, sob alegações de que podem prejudicar o país.

É uma postura nova do procurador? Não. Antes de ser indicado para o cargo, Aras já vinha defendendo que o Ministério Público Federal atue para “destravar a economia” em vez de ser um “motoqueiro que atrapalhe o trânsito”.

A atuação econômica começou antes mesmo de sua indicação formal. Aras foi considerado fundamental por auxiliares de Jair Bolsonaro para destravar a concessão da Ferrovia Norte-Sul, o que lhe rendeu nos bastidores o apoio de um dos ministros mais prestigiados pelo presidente, Tarcísio de Freitas, da Infraestrutura.

O que mais disse o próximo PGR? O novo procurador-geral da República afirmou que, no plano interno, a principal bandeira de sua gestão será a unidade institucional. Segundo ele, integrantes do MPF terão “oportunidades iguais” dentro do órgão. Aras também defendeu a valorização dos membros do Ministério Público.

“O Ministério Público é uno, e a sua unidade é nosso maior bem a ser protegido. Unidos somos mais fortes para proteger a Constituição, que temos que ter como um farol das nossas atividades”, afirmou.

Segundo ele, no próximo dia 8 de outubro, será apresentado um “projeto para o Ministério Público brasileiro”, durante sessão do Conselho Nacional do MP.

(Com Estadão Conteúdo)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).