A temporada de balanços do setor de educação começa na semana que vem, com os números do terceiro trimestre da Yduqs logo na segunda-feira (dia 8). Na sexta (dia 12), será a vez de Cogna e Ser Educacional apresentarem seus dados. A Ânima encerra a temporada do setor, divulgando seu balanço no dia 16.

Mas o que esperar dos balanços do setor? Relatório divulgado hoje pela XP diz que as empresas do setor podem ser impactadas negativamente pela redução dos casos de covi-19 no país.

“As medidas de distanciamento social obrigaram as empresas de educação a se adaptarem a uma realidade diferente, com os alunos presenciais migrando para as aulas digitais. Embora isso tenha causado alguns efeitos negativos em termos de admissão e evasão, as empresas conseguiram reduzir custos de ocupação e docentes, evitando queda acentuada nas margens”, afirma relatório assinado pelos analistas da XP Rafael Barros, Larissa Pérez e Vitor Pini.

Isso significa que as empresas do setor terão seus resultados apertados pelo aumento de custo operacional com as aulas presenciais. “Esperamos que as margens sejam pressionadas pela retomada do presencial, que consequentemente aumenta os custos docentes e de ocupação, e pelas despesas com marketing”, afirmam os analistas.

A Selic também pesará nos resultados? Sim, porque o aumento dos juros pesa sobre o endividamento das companhias. “Tanto a Anima quanto a Cogna possuem um alto montante de dívida, e portanto, devem sofrer pressão nos lucros com o aumento da taxa Selic, que deve elevar as despesas financeiras”, dizem os analistas.

A situação é igual para todas as empresas? Não. A XP lembra que a “Ser reportou captação recorde no início de outubro, o que pode indicar que uma recuperação nas bases de alunos está a caminho”.

Como ficaram as recomendações de compra? A XP manteve recomendação de compra para Yduqs e Ânima.

“Estimamos um aumento de 14% A/A na receita, uma vez que a empresa conseguiu ajustar os tíquetes pela inflação no início do ano, e os descontos obrigatórios praticados nos últimos trimestres não estão mais afetando a receita de forma relevante”, escreveram os analistas sobre a Yduqs.

Para a Cogna, a XP diz que a empresa deve ter “mais uma vez um trimestre difícil em relação aos resultados”. “A empresa passa por um processo de restruturação desde meados de 2020 e, embora acreditemos que a maior parte do impacto tenha ocorrido em trimestres anteriores, a retomada das aulas presenciais pressiona ainda mais os resultados. Esperamos que as receitas diminuam 5% A/A.”

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).