SÃO PAULO (Reuters) – O dólar saltou 2% ante o real nesta sexta-feira, na maior alta em quatro meses, impulsionado por ordens automáticas de compras após a moeda romper duas resistências técnicas. A influência negativa do exterior foi turbinada pela ampla incerteza sobre o cenário doméstico, diante do atraso na vacinação, dos efeitos econômicos da pandemia e de potenciais aumentos de gastos por causa da crise sanitária.

No fechamento, o dólar à vista subiu 2,12%, a 5,4778 reais na venda. É a maior valorização percentual diária desde 23 de setembro do ano passado (+2,18%). O patamar é o mais alto desde a taxa de 5,5033 reais marcada no último dia 11.

Na semana, a cotação ganhou 3,28%%. Em 2021, o dólar avança 5,51%.

(Por José de Castro)

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda de 2021? Mande sua pergunta por e-mail (faleconosco@6minutos.com.br), Telegram (t.me/seisminutos) ou WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).