Apesar do coronavírus e dos milhões de pedidos de seguro-desemprego que levaram a economia dos Estados Unidos a entrar em recessão, o crescimento da inadimplência no cartão de crédito, previsto por alguns, ainda não se concretizou. Em vez disso, a dívida nos cartões diminuiu desde o início da pandemia, com muitos consumidores gastando menos e usando parte da ajuda dada pelo governo para reduzir o valor das faturas dos próximos meses.

Mas isso pode não durar. Mesmo se o Congresso aprovar um novo pacote de ajuda com mais benefícios aos trabalhadores, a catástrofe econômica em curso pode finalmente desencadear um aumento nas dívidas, de acordo com uma nova pesquisa.

O levantamento aponta que mais da metade dos americanos com dívidas no cartão de crédito acredita que precisará de mais dinheiro para fazer pelo menos os pagamentos mínimos nos próximos três meses, e aproximadamente 50% disseram que o emprego será essencial para evitar a inadimplência. O número de pedidos de seguro-desemprego chegou a 30 milhões, atualmente.

“Eu acho que a tendência de redução do endividamento no cartão de crédito esconde algumas das dificuldades que as famílias estão encontrando. Eu temo que teremos mais pessoas usando os cartões para financiar despesas e para continuar sobrevivendo ”, disse Ted Rossman, analista do site CreditCards.com, que realizou a pesquisa.

Mais de um terço dos entrevistados disse ter dívidas no cartão de crédito. Desses, três em cada dez disseram que a liberação de mais recursos de ajuda pelo governo terá influência sobre sua capacidade de pagamento nos próximos meses.

A recuperação do mercado de trabalho deve ser essencial. Mesmo considerando o auxílio do governo, 61% dos entrevistados disseram que não poder trabalhar nos próximos meses afetaria sua capacidade de pagamento.

Problema adiado, não resolvido

Mais de 60 milhões de americanos disseram ter usado seus cartões de crédito para atender às suas despesas principal, segundo dados coletados pelo Censo dos Estados Unidos. Embora uma pesquisa de abril do CreditCards.com tenha constatado que 47% dos adultos norte-americanos tenham dívidas no cartão de crédito, esse número caiu para 36% na última pesquisa.

O analista do CreditCards.com alertou, no entanto, que a questão da inadimplência só deverá ser adiada, e não evitada — especialmente se não houver mais ajuda vinda do governo.

O Congresso tem discutido um projeto que liberaria novas parcelas do auxílio governamental. Sem a ajuda vinda do poder público, os Estados Unidos podem enfrentar problemas mais graves do que a inadimplência nos cartões: milhões de americanos entrariam na faixa de pobreza até o final deste ano.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu WhatsApp? É só entrar no grupo pelo link: https://6minutos.uol.com.br/whatsapp.