SÃO PAULO (Reuters) – As distribuidoras de combustíveis do Brasil aposentaram, até o fim de 2020, 14.535.334 créditos de descarbonização (CBios) adquiridos no âmbito do programa RenovaBio, informou a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) nesta terça-feira.

A cifra corresponde a 97,6% das metas estabelecidas para o período 2019/2020. Cada crédito, com emissão por produtores de etanol e biodiesel, representa uma tonelada de dióxido de carbono que deixa de ser emitida. As distribuidoras de combustíveis são obrigadas a comprá-los conforme metas anuais.

“Dos 141 distribuidores de combustíveis com metas fixadas para o período, 106 cumpriram integralmente a meta, quatro aposentaram CBios em quantidade inferior à meta e 31 não aposentaram CBios”, disse a ANP em comunicado, acrescentando que aqueles que não cumpriram a meta estarão sujeitos a multas.

“O pagamento da multa não isenta o distribuidor do cumprimento de sua meta anual, devendo a quantidade de CBios não cumprida ser acrescida à meta aplicável ao distribuidor no ano seguinte”, afirmou a agência reguladora.

Responsáveis pela compra da maior parte dos títulos, BR Distribuidora, Ipiranga –do grupo Ultrapar– e Raízen, joint-venture de Shell e Cosan, cumpriram integralmente suas metas.

Em 2020, por causa dos impactos causados pela pandemia de coronavírus sobre o setor, as metas originais para o programa foram reduzidas pela metade. Para 2021, a ANP prevê uma comercialização total de 24,8 milhões de títulos.

(Por Gabriel Araujo)

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda de 2021? Mande sua pergunta por e-mail (faleconosco@6minutos.com.br), Telegram (t.me/seisminutos) ou WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).