Por Emma Farge

GENEBRA (Reuters) – A diretora-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC) disse nesta segunda-feira que as barreiras comerciais relacionadas a suprimentos médicos usados contra a Covid-19 aumentaram e pediu aos Estados-membros a derrubada dessas barreiras, uma vez que isso intensificou os esforços para chegar a um acordo sobre o compartilhamento de vacinas.

“A tendência está indo na direção errada”, disse a diretora-geral da OMC, Ngozi Okonjo-Iweala, em fórum virtual da ONU, referindo-se às barreiras ao comércio de mercadorias relacionadas à pandemia.

“Precisamos derrubar essas restrições para que possamos transportar… produtos, suprimentos médicos e vacinas (mais rapidamente).”

Ela disse que o número de restrições ao comércio era 109 no começo da pandemia no início do ano passado, e depois caiu para 51, mas desde então aumentou novamente para 53.

No mesmo evento, ela pediu aos membros da OMC que cheguem a um acordo até julho para melhorar o acesso às vacinas contra a Covid-19, após meses de negociações sobre a renúncia de patente das indústrias farmacêuticas. A maioria dos países em desenvolvimento apoia a isenção, mas vários países ricos continuam fortemente contra, dizendo que isso deterá pesquisas que permitiram a produção tão rápida de vacinas.

“Vai ser difícil porque ainda existem diferenças, mas esperamos poder chegar a uma abordagem pragmática”, disse Okonjo-Iweala. “Estou com pressa e quero que cheguemos a um acordo até julho porque vidas são importantes.”

(Por Emma Farge)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).