O Dia das Mães, que será comemorado neste domingo, costumava ser uma data de muita espera nos restaurantes. Por conta da pandemia de coronavírus, os consumidores trocaram as idas ao comércio pelo delivery.

“Neste ano, o delivery será o principal meio de venda. No entanto, vale lembrar que o movimento para muitos será três vezes maior e requer organização prévia”, diz Percival Maricato, presidente do conselho estadual da Abrasel-SP (associação brasileira de restaurantes).

Para a Abrasel-SP, o faturamento do setor pode aumentar cerca de 35% em comparação ao fim de semana comum. Esse percentual poderia ser triplicado, se tivéssemos mais possibilidade de ocupação e atendimento”, explica Joaquim Saraiva de Almeida – presidente da Abrasel SP.

Ele está se referindo às regras da fase emergencial, que permitem o atendimento presencial com 25% da capacidade até as 21h.

O que os restaurantes pedem? Eles querem funcionar até as 22h, fechamento total às 23h, e limite de capacidade de 30%. “O acréscimo de somente uma hora, alterando para às 21h o término do atendimento e 5% a mais de ocupação, passando para 30%, não tem impacto relevante no setor. A mudança de horário não possibilita a operação do jantar”, diz Joaquim Saraiva.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).