Por Rajendra Jadhav

MUMBAI (Reuters) – O consumo de açúcar na Índia durante a época de pico de demanda deve cair pelo segundo ano consecutivo, após vários Estados terem colocado restrições que incluíram fechamento de restaurantes e lojas para conter casos crescentes de Covid-19, disseram à Reuters representantes do setor.

A menor demanda poderia elevar os estoques na Índia, maior consumidor global do adoçante, e colocar pressão baixista nos preços locais. Menores vendas domésticas poderiam forçar usinas a exportar mais açúcar no próximo ano comercial, pressionando também as cotações globais.

“A segunda onda de coronavírus tem impactado o mercado durante a época de pico de demanda. Aquisições por grandes compradores estão caindo”, disse à Reuters o presidente da associação All India Sugar Trade (Aista), Praful Vithalan.

O consumo de bebidas geladas e sorvete cresce na Índia durante o verão, de março a junho, consequentemente elevando a demanda por açúcar. A demanda também costuma ser impulsionada no verão pela temporada de casamentos, mas muitos Estados restringiram o número de convidados em cerimônias e adotaram outras medidas para conter o coronavírus.

Maharashtra, Rajasthan, Chhattisgarh, Nova Délhi e Uttar Pradesh estão entre os Estados que adotaram diversas restrições neste mês, à medida que crescem os casos de Covid-19 pelo país, que atingiram um novo recorde e têm pressionado o sistema de saúde do país.

Havia expectativa de que o consumo se recuperasse fortemente no ano comercial 2020/21, que encerra em 30 de setembro, mas as novas restrições significam que o consumo provavelmente ficará estável, próximo do visto no ano anterior, disse Vithalani.

A demanda por açúcar, que geralmente cresce mais de 1% por ano, caiu 0,8% em 2019/20, para 25,3 milhões de toneladas, após a Índia ter imposto um dos mais duros lockdowns do mundo a partir de março do ano passado.

A demanda de grandes consumidores se recuperou para níveis normais no final de 2020, mas começou a cair novamente neste mês devido à incerteza sobre os lockdowns associados ao coronavírus, disse o presidente da Associação de Comerciantes de Açúcar de Bombay, Ashok Jain.

Algumas usinas em Maharashtra, um produtor-chave, estão vendendo açúcar abaixo do preço mínimo fixado pelo governo, de 31 mil rúpias (414,04 dólares) por tonelada, uma vez que estão produzindo muito acima da demanda, disse Jain.

((Tradução Redação São Paulo, 55 11 5644 7519)) REUTERS LC RS

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda de 2021? Mande sua pergunta por e-mail (faleconosco@6minutos.com.br), Telegram (t.me/seisminutos) ou WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).