Em um vídeo divulgado na manhã desta segunda-feira (21) e sem citar o nome do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), o congressista goiano Delegado Waldir, então líder do PSL na Câmara, disse que “aceita democraticamente lista feita por parlamentares” e que o partido irá retirar a ação de suspensão de cinco parlamentares da sigla. Eduardo, filho de Jair Bolsonaro, assume a liderança do partido.

O que mais o deputado goiano falou? “Já estarei à disposição do novo líder para de forma transparente passar para ele toda a liderança do PSL. Queria agradecer aos parlamentares que confiaram nesse nosso projeto e dizer que não sou subordinado a nenhum governador e nenhum presidente, mas, sim, ao meu eleitor”, disse Waldir no vídeo.

“Nós não rasgamos a Constituição ainda”, afirmou Waldir, em uma crítica velada ao presidente Jair Bolsonaro. “A Constituição prevê que o Executivo não deve interferir no parlamento em nenhuma ação.”

Você pode me dar um pouco mais de contexto? O PSL, partido pelo qual Jair Bolsonaro se elegeu presidente da República, vive um racha interno em disputa pelo poder dentro da sigla. De lado está a família Bolsonaro, do presidente e seus filhos; do outro, o grupo do presidente do PSL, Luciano Bivar.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).