O impacto financeiro do vazamento de dados de empresas de serviços aumentou cerca de 10,5% no Brasil em 2020, comparado ao ano anterior. Segundo relatório realizado pela IBM Security e pelo Instituto Ponemon, uma violação custa, em média, R$ 5,88 milhões para a companhia prejudicada, enquanto em 2019 o prejuízo era de R$ 5,32 milhões. Ataques a instituições financeiras são os mais caros no país.

O roubo de dados está entre os crimes cibernéticos mais prejudiciais às empresas, podendo custar até R$ 2 bilhões, de acordo com o número de usuários que tiveram suas informações violadas. O levantamento aponta que durante a quarentena as empresas estão mais suscetíveis ao vazamento de dados, devido a potenciais falhas da segurança do trabalho em home office e operações de negócios na nuvem. Neste cenário, companhias que usam serviços de inteligência artificial estão menos propensas a serem vítimas.

Em âmbito global, o custo médio do vazamento de dados gira em torno de R$ 20 milhões. Quando as contas invadidas são de funcionários, o valor sobe para R$ 24,6 milhões. Para a pesquisa, foram consultadas mais de 500 empresas ao redor do mundo, e 3.200 funcionários.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu WhatsApp? É só entrar no grupo pelo link: https://6minutos.uol.com.br/whatsapp.