SÃO PAULO (Reuters) – O grupo Raízen, joint venture da Shell e da Cosan, reiterou nesta sexta-feira que os acionistas controladores seguem analisando a viabilidade de uma possível listagem da empresa de açúcar, etanol e distribuição de combustíveis, “por meio de uma oferta pública inicial de ações (IPO)”.

Em nota comentando reportagem do jornal O Estado de S.Paulo desta semana, a Cosan afirmou que, visando a listagem, os sócios têm “a intenção de deixar todos os atos preparatórios finalizados para a realização da possível operação”.

“Não obstante o acima exposto, tal oferta, seus termos e condições, depende da aprovação final dos acionistas da companhia, bem como de inúmeras condições de mercado alheias à sua vontade”, concluiu.

Ao final de março, a Cosan disse que estava contratando consultores para iniciar os preparativos de uma eventual oferta pública inicial de ações.

A manifestação ocorreu após a Reuters noticiar, com base em fontes, que a Raízen havia escolhido os bancos de investimento do BTG Pactual, Bank of America, Citi e Credit Suisse como coordenadores de seu IPO.

(Por Roberto Samora)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).