MOSCOU (Reuters) – A consultoria SovEcon informou nesta segunda-feira que reduziu sua estimativa para as exportações de trigo da Rússia em 2020/21 para 36,3 milhões de toneladas, de 40,8 milhões de toneladas esperadas anteriormente, devido a um anunciado imposto sobre a exportação de trigo.

A Rússia, um dos maiores exportadores de trigo do mundo, está tentando estabilizar os preços dos alimentos com uma cota de exportação de grãos e um imposto de exportação de trigo que ficarão em vigor de 15 de fevereiro a 30 de junho.

A SovEcon, uma das principais consultorias agrícolas em Moscou, disse que alguns agricultores devem atrasar as vendas de seu trigo até julho de 2021, quando a nova temporada começa e o imposto de exportação não estará mais em vigor.

A SovEcon modelou sua análise com base na temporada de comercialização de 2014/15, quando a Rússia impôs um imposto de exportação de trigo e as exportações do produto caíram drasticamente entre fevereiro e maio de 2015.

“Um número significativo de agricultores pode decidir adiar as vendas até o início da temporada 2021/22, na esperança de um rápido fortalecimento dos preços depois que o imposto for retirado”, disse a SovEcon.

Perspectivas relativamente ruins para a safra de 2021 da Rússia podem fornecer suporte adicional para essa decisão, acrescentou a consultoria.

Os agricultores russos plantaram o trigo de inverno em solo seco no outono, e o atual inverno não tem ajudado até agora nas perspectivas para a safra de trigo do país de 2021. A parcela dos plantios de inverno russos vista como em más condições estava no maior nível em 7 anos no início de dezembro.

(Reportagem de Polina Devitt)

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda de 2021? Mande sua pergunta por e-mail (faleconosco@6minutos.com.br), Telegram (t.me/seisminutos) ou WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).