A confiança do consumidor no Brasil chegou em julho ao nível mais alto em nove meses diante da melhora na percepção sobre as expectativas em relação aos próximos meses.

Os dados divulgados nesta segunda-feira pela Fundação Getulio Vargas (FGV) mostraram que seu Índice de Confiança do Consumidor (ICC) avançou 1,3 ponto em julho, na quarta alta seguida, chegando a 82,2 pontos. Esse é o nível mais alto desde outubro de 2020 (82,4 pontos).

No mês, O Índice de Situação Atual (ISA) perdeu 0,7 ponto, indo a 70,9 pontos, mostrando acomodação da satisfação em relação à situação presente, segundo a FGV.

Já o Índice de Expectativas (IE) aumentou 2,5 pontos, para 90,8 pontos, maior nível desde setembro de 2020.

“Há uma melhora das perspectivas futuras, mas o índice que mede a situação atual continua rodando em torno dos 70 pontos, mostrando que apesar do otimismo, os consumidores vêm tendo

dificuldade de recuperação financeira, principalmente as famílias de menor poder aquisitivo que tem mais dificuldade de obter emprego, organizar as finanças familiares e sofrem maior impacto do aumento dos preços”, disse Viviane Seda Bittencourt, coordenadora das sondagens, em nota.

“O cenário dos próximos meses vai depender do avanço da vacinação, do controle das novas cepas para que a confiança continue avançando”, alertou ela.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).