A reabertura da economia vem reduzindo a percepção das empresas sobre o impacto negativo da pandemia sobre seus negócios. Na segunda quinzena de junho, 62,4% das empresas diziam ter sido afetadas negativamente. Esse percentual caiu para 37,5% na segunda quinzena de julho, segundo pesquisa Pulso Empresas divulgada hoje pelo IBGE.

Na segunda quinzena de julho, 36,3% das empresas informaram que o efeito foi pequeno ou inexistente. Para 26,1% delas, o efeito foi positivo.

As empresas mais afetadas são as do setor de serviços (42,9%), com destaque para o segmento de serviços profissionais, administrativos e complementares. No Comércio, 36,5% relataram efeitos pequenos ou inexistentes e na construção, 55,4%. No setor industrial, 35,8% destacaram impacto pequeno ou inexistente.

Por porte, as pequenas (37,6%) foram tão impactadas quanto as grandes (37,8%).

Nas vendas, o impacto foi pequeno ou inexistente para 37,1% das empresas. Já 34,4% sentiram impacto de diminuição, enquanto 28,4% relataram aumento nas vendas com a pandemia.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).