Se antes era comum ficar o dia inteiro longe de casa, e em muitos casos, voltar apenas para dormir, em tempos de pandemia essa realidade mudou.

Um levantamento divulgado nesta quarta-feira pela DataZAP+, área de inteligência imobiliária do ZAP+, mostra uma queda na demanda de imóveis menores em todas as zonas de São Paulo e um aumento no interesse por empreendimentos com maior preço, tanto para venda quanto locação.

“Com o trabalho remoto, as pessoas têm procurado metragens maiores, visando mais conforto, espaço de descanso e privacidade. Mesmo no centro de São Paulo, onde há imóveis mais compactos, registramos uma queda relativa por imóveis pequenos, nos dois tipos de transações comerciais”, comenta Pedro Tenório, economista da DataZap+.

A pesquisa analisou as buscas de usuários dos portais ZAP e Viva Real usando como base o período entre junho de 2020 e junho de 2021.

Os resultados sugerem que houve uma queda relativa no interesse do público por imóveis com menor metragem em todas as zonas da capital paulista. Destaque para a região central, onde apesar de concentrar a maior procura por imóveis menores, foi a que registrou a maior queda relativa da demanda por imóveis de até 50m²:  (-5,54 p.p.) para locação e (-5,46 p.p.) para venda.

Em relação às vendas, as zonas oeste e leste aparecem como áreas em que houve redução significativa da participação dos imóveis de até 50m².

Área útil

No que se refere às buscas para compra, o centro da capital se destaca como a área com maior participação relativa na demanda por imóveis de até 50m² (concentra 39% da demanda da região). Nas demais regiões, destaque para a metragem de 50 a 70 m² nas zonas leste e norte, respectivamente.

Para as buscas de locação, os imóveis com metragem de até 50m² representam 57% da demanda no centro, 43% na zona leste, 36% na zona norte, 28% na zona oeste e 29% na zona sul. Os dados também mostram que a metragem entre 50 e 70 m² também é relevante nas zonas analisadas.

Preços

Em relação ao preço, a DataZAP+ identificou que as pessoas interessadas em comprar um apartamento no centro, zonas leste e norte, buscam mais imóveis de ticket entre R$ 240.000 e R$ 500.000. Na zona oeste, destaque para a busca por imóveis acima de R$ 1.000.000,00. Na zona sul, 25% também buscam imóveis acima desse valor; no entanto, verificou-se uma maior dispersão entre as faixas de preços analisadas.

Para transação de locação, o levantamento observou que nas zonas leste e norte se destacam as buscas por imóveis entre R$ 1.000,00 e R$ 1.500,00. Na região central e na zona sul há demanda significativa por imóveis acima de R$ 1.000,00. Porém, no centro, imóveis acima de R$ 3.000,00 possuem baixa demanda relativa. Já na zona oeste, 67% da procura se direciona para imóveis acima de R$ 2.000,00.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).