O Nubank sempre se diferenciou de outras instituições por oferecer cartão de crédito sem anuidade e tarifas. Mas o banco deu uma guinada de posicionamento ao lançar nesta terça-feira o cartão ultravioleta, focado no público de alta renda.

Para se diferenciar do popular cartão roxinho, o ultravioleta possui uma série de diferenciais. Para começar, ele é feito de metal, e não de plástico. “Aqui nos Estados Unidos, a maioria dos cartões premium é feita de metal”, afirma Carlos Macedo, analista da Ohmresearch, plataforma de análises independentes.

Mas a principal mudança é aquela que no bolso – e justamente por isso foi a que mais sofreu críticas nas redes sociais. O cartão ultravioleta cobra mensalidade de R$ 49.

Mas clientes com perfil de alta renda conseguem se livrar dessa cobrança. Basta ter gastos médios mensais no cartão de R$ 5.000 ou possuir investimentos acima de R$ 150 mil distribuídos entre Nubank e Easynvest.

“Esse valor não é tão alto assim. É preciso entender que a mensalidade do cartão black é mais alta porque a bandeira [Mastercard] cobra mais do emissor para cobrir os serviços oferecidos, como acesso a sala vip, seguro viagem. São serviços que os cartões comuns não têm”, afirma Macedo.

O Nubank diz que a mensalidade do ultravioleta é cerca de 40% mais barata que a média dos cartões Black dos outros bancos, que gira em torno de R$ 84 mensais.

O que está por trás da estratégia do cartão ultravioleta?

Para Macedo, o Nubank quer reter as movimentações financeiras dos clientes de alta renda que já são clientes da instituição. “Eles, com certeza, já possuem clientes de alta renda que acabam usando serviços de outros bancos. Como não cobravam nada, não davam nada de diferencial. Agora, eles querem reter as movimentações desse público dentro do Nubank.”

Por isso, uma das condições de isenção da anuidade é possuir investimentos superiores a R$ 150 mil. O banco comprou em maio a corretora Easynvest, o que potencializou sua atuação no mercado de investimentos.

E o cashback?

Diferentemente do roxinho, o ultravioleta oferece cashback de 1% sobre as compras efetuadas. Para Macedo, o cashback é mais para contrabalancear a cobrança da mensalidade.

“Outros bancos até oferecem percentuais superiores de cashback, mas isso é uma negociação caso a caso com cada fornecedor”, afirma Macedo.

O ultravioleta é para todos?

Definitivamente, não. Como o cartão de metal é produzido fora do Brasil, o Nubank informa que a distribuição dele será limitada.

Em seu blog, o banco diz que qualquer pessoa pode se inscrever na lista de interessados em ter um ultravioleta. Não é necessário comprovar renda, mas o banco fará uma análise de crédito.

Qual foi a reação nas redes sociais?

O cartão premium virou objeto de desejo. Muita gente escreveu nas redes sociais que quer ter um cartão violeta. Mas outro tanto reclamou de o produto ser apenas para rico.

 

 

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).