Uma nova pesquisa mostrou o que talvez já estava claro para muitos: as pessoas comeram mais durante a pandemia, mesmo com restaurantes fechados.

As pessoas consumiram 15% a mais de calorias que o normal em maio do ano passado e 10% na média do segundo semestre do ano, de acordo com uma pesquisa do IFS (Institute for Fiscal Studies) feita com moradores do Reino Unido. Foram analisados milhares de produtos comprados em lojas, restaurantes e serviços de retirada.

“As mudanças na forma como as pessoas trabalham, comem e socializam no último ano levaram a um significativo aumento no consumo de calorias. 90% das famílias aumentaram a ingestão de calorias, principalmente para os mais ricos”, afirma Kate Smith, diretora associada do IFS e autora da pesquisa.

As calorias consumidas com retiradas mais do que dobraram em comparação ao nível pré-pandemia durante o segundo lockdown em novembro, no Reino Unido. O crescimento foi de 10% considerando produtos comprados em mercados.

A pesquisa diz que o home office aumenta a dificuldade de melhorar a dieta da população e reduzir os níveis de obesidade.

“Uma pergunta importante para ser avaliada depois do fim da pandemia é se esses hábitos de maior consumo calórico vão se manter”, afirma Martin O’Connell, co-autor da pesquisa.

Segundo os autores, apenas a minoria teve dificuldades de acesso à alimentação durante a pandemia. De acordo com o Trussel Trust, que apoia 1.200 bancos de alimentos no Reino Unido, 2,5 milhões de cestas básicas foram entregues em março para quem precisava.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).