PEQUIM (Reuters) – A China deu continuidade a seu impressionante desempenho comercial em abril, com as exportações acelerando inesperadamente e o crescimento das importações atingindo máxima de uma década, em um impulso à segunda maior economia do mundo.

A recuperação econômica dos EUA e a estagnação da produção industrial em outros países afetados pelo coronavírus elevaram a demanda por produtos fabricados na China, disseram analistas.

As exportações em termos de dólares saltaram 32,3% sobre o mesmo período do ano anterior, para 263,92 bilhões de dólares, informou nesta sexta-feira a Administração Geral de Alfândegas da China, superando a previsão de analistas de 24,1% e o crescimento de 30,6% em março.

“O crescimento das exportações da China de novo surpreendeu para cima”, disse Zhiwei Zhang, economista-chefe da Pinpoint Asset Management, acrescentando que dois fatores –o crescimento da economia dos EUA e a crise da Covid-19 na Índia, levando algumas encomendas a passar para a China –provavelmente contribuíram para o forte crescimento das exportações.

As importações também foram impressionantes, subindo 43,1% sobre o ano anterior, ganho mais forte desde janeiro de 2011 e acelerando ante a taxa de 38,1% vista em março. Também foi melhor do que a alta de 42,5% esperada em pesquisa da Reuters, diante dos preços mais altos de commodities.

O superávit comercial da China de 42,85 bilhões de dólares foi maior do que o excedente de 28,1 bilhões esperado em pesquisa da Reuters.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).