Por Dominique Patton

PEQUIM (Reuters) – A agência estatal de planejamento econômico da China pediu nesta quarta-feira que produtores de suínos do país mantenham a capacidade de produção em um nível razoável, depois de um indicador de custos amplamente acompanhado pelo setor ter atingido, na semana passada, um nível que torna o negócio pouco lucrativo.

A proporção média entre os preços de suínos e grãos caiu abaixo de 6:1 na semana passada, segundo a Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma (NDRC, na sigla em inglês), que acrescentou ter emitido um alerta de nível 3 para uma queda excessiva nos preços do suíno vivo.

A divisão de preços da NDRC “vai monitorar de perto a produção de suínos e as tendências de preços no mercado, conduzir ajustes de reservas de forma apropriada e promover o bom funcionamento do mercado de suínos vivos”, disse a entidade em comunicado.

Os preços dos suínos vivos despencaram mais de 60% desde o início do ano, e atualmente operam a uma média de 14,68 iuanes (2,29 dólares) por kg, menor nível em dois anos, de acordo com a Shanghai JC Intelligence.

O declínio acentuado pegou o mercado de surpresa, tendo ocorrido antes mesmo de o rebanho chinês recuperar totalmente os níveis vistos antes do surto de peste suína africana, que começou em 2018.

A NDRC atribuiu a forte queda nas cotações ao fato de produtores enviarem porcos pesados para o abate, a um aumento nas importações de carne suína e à fraca demanda sazonal.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).