Por Luana Maria Benedito

SÃO PAULO (Reuters) – O dólar subia frente ao real na manhã desta segunda-feira (6), que deve contar com liquidez baixa devido a feriado nos Estados Unidos, enquanto os investidores elevavam a cautela às vésperas de manifestações previstas para o dia 7 de setembro, na terça-feira, no Brasil.

Às 10h01, o dólar avançava 0,48%, a R$ 5,2086 na venda. O dólar futuro de maior liquidez avançava 0,18%, a R$ 5,2255.

Vários analistas chamavam a atenção para o feriado do Dia do Trabalho nos Estados Unidos, que mantém os mercados norte-americanos fechados nesta segunda-feira (6), o que deve deixar os volumes de negociação baixos no dia.

Mas a aproximação do Dia da Independência no Brasil mantinha os participantes do mercado nervosos. O presidente Jair Bolsonaro aposta em uma manifestação avassaladora na terça-feira para recuperar força política.

No fim de semana, ele defendeu a participação de policiais militares nos atos marcados para o feriado nacional, e garantiu que não irá recuar de suas posições, em meio à forte tensão entre os Poderes Executivo e Judiciário.

O STF (Supremo Tribunal Federal) passou a adotar uma série de medidas para se contrapor a eventuais excessos que possam ocorrer nas manifestações, preocupado com ameaças feitas por Bolsonaro e aliados dele, segundo fontes da corte com quem a Reuters conversou.

“Nesta semana, (…) o cenário será dominado pelas manifestações do Dia da Independência, que se transformaram em uma disputa pública entre o STF e o presidente da República”, escreveram analistas da Genial Investimentos em nota.

“A disputa poderá se transformar em um embrião de uma crise institucional cujo desfecho é de difícil previsão. Nossa avaliação é que, no final, o conflito terá solução pacífica, mas o desempenho da economia não ficará incólume.”

Além de citar receios em torno das manifestações, Victor Beyruti, economista da Guide Investimentos, relembrou em nota que a semana passada “reforçou as preocupações com inflação ao mesmo tempo em que trouxe dados de atividade mais fracos do que o esperado”, de forma que a “cautela local deve seguir imperando sobre o bom humor externo”.

Dados do IBGE divulgados na semana passada mostraram que a economia brasileira registrou contração de 0,1% no segundo trimestre deste ano ante o primeiro, frustrando expectativa em pesquisa da Reuters de avanço de 0,2%.

No último pregão, na sexta-feira, o dólar spot teve variação positiva de 0,02%, a R$ 5,1839 na venda.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).