O consumidor brasileiro precisou lidar no último ano com a disparada de preço de diversos alimentos. Os grandes vilões da refeição  dentro de casa foram o arroz, o óleo de soja, as carnes e os queijos.

O problema, segundo a Apas (Associação Paulista de Supermercados) é que vários desses itens vão continuar subindo. Além dos fatores que já existiam antes, como efeito do dólar e aumento das exportações, um outro deve pressionar os preços. É o ICMS.

De quanto foram os aumentos? Veja abaixo o aumento acumulado em 12 meses, segundo levantamento da Apas:

  • Carne bovina: 23,64%
  • Carne suína: 26,84%
  • Frango: 13,83%
  • Ovos: 11,81%
  • Leite: 30,11%
  • Cereais: 53,80%
  • Óleos: 66,65%

Qual o efeito do ICMS? Segundo a Apas, as carnes ficaram 0,2% mais caras em janeiro por conta do aumento do ICMS. Outro reajuste, de 0,8%, deve entrar em vigor a partir de 1º de abril.

No caso do queijo muçarela e queijo prato, houve um aumento de 1,3% em janeiro por conta do ICMS. A partir de abril, o reajuste será ainda maior: 4,7%.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).