Por Marcelo Teixeira

NOVA YORK/LONDRES (Reuters) – Os contratos futuros do café arábica negociados na ICE recuaram nesta sexta-feira após uma forte recuperação que os levou a máximas de seis anos e meio, acima dos 2 dólares por libra-peso, com investidores se preocupando com padrões de entrega enquanto avaliavam o dano da safra no maior produtor, Brasil, afetada por geadas.

CAFÉ

* O café arábica para setembro fechou em queda de 4,65 centavos de dólar, ou 2,4%, a 1,89 dólar por libra-peso, depois de ter atingido o preço máximo em mais de 6 anos e meio de 2,0950 dólares. O contrato ganhou 18,5% na semana.

* “O humor agora está muito difícil”, afirmou um trader do mercado físico de arábica, localizado na Europa.

* Ele disse que o risco é que as estimativas de 3 milhões a 5 milhões de sacas em danos para a safra do ano que vem – igual a 10% de toda a produção – possam ser ainda maiores, e não menores, porque a extensão total dos danos leva dias para aparecer.

* Outro trader concordou, afirmando que também existem preocupações sobre a frente fria da semana que vem, apesar dos especuladores terem decidido embolsar lucros antes do final de semana.

* As geadas inesperadas atingiram as principais regiões de produção de café do Brasil, os Estados de Minas Gerais e São Paulo na terça-feira.

* Os cafezais são extremamente sensíveis às geadas, que matam as folhas, forçando a planta a crescer novamente na próxima temporada, enquanto as geadas fortes podem matar as árvores completamente.

* O café robusta para setembro fechou em alta de 10 dólares, ou 0,5%, em 1.899 dólares a tonelada, após atingir a máxima em quase quatro anos de 1.993 dólares.

AÇÚCAR

* Açúcar bruto para outubro avançou 0,55 centavo de dólar, ou 3,1%, em 18,17 centavos de dólar por libra-peso, uma máxima de duas semanas.

* As geadas também atingiram as áreas de cana-de-açúcar no Brasil, que é um importante produtor do adoçante, mas acredita-se que elas tenham causado menos impacto porque as áreas afetadas já foram colhidas.

* Entretanto, os operadores afirmaram que as geadas poderiam afetar a colheita da próxima temporada, embora o dano da safra da cana demore mais tempo para ser avaliado e dependa da adequação das chuvas daqui pra frente. A cana, que é essencialmente uma gramínea, é mais resistente que o café.

* O açúcar branco para outubro ​​fechou em alta de 10,70 dólares, ou 2,4%, em 457,70 dólares a tonelada.

(Por Marcelo Teixeira)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).