NOVA YORK/LONDRES (Reuters) – Os contratos futuros do café arábica na ICE ganharam 2% nesta sexta-feira, atingindo a máxima em mais de três semanas, em meio a constantes preocupações com a oferta, enquanto o açúcar caiu à medida que o sentimento de risco voltou aos mercados financeiros mais amplos.

CAFÉ

* O café arábica para dezembro fechou em alta de 3,75 centavos de dólar, ou 2,0%, em 1,9435 dólar por libra-peso, ​​tendo atingido a sua máxima desde 1º de setembro em 1,9530 dólares.

* Operadores disseram que o arábica continuou a ganhar apoio com as fracas perspectivas de fornecimento do maior produtor, Brasil, após o clima adverso, embora acrescentassem que chuvas muito necessárias são esperadas a partir do fim de semana nas regiões produtoras de café do Brasil.

* Eles disseram que o novo nível de resistência é visto agora em 2,04 dólares por libra-peso, após a quebra acima de 1,90 dólar na quinta-feira.

* “Estive em algumas lavouras (nos Estados de) Minas e São Paulo nos últimos dias, as plantas ainda apresentam alto estresse hídrico”, disse o agrônomo de café Jonas Ferraresso, acrescentando que chuvas de pelo menos 30 milímetros são necessárias nos próximos 15 dias.

* O café robusta para novembro avançou 2 dólares, ou 0,1%, em 2.148 dólares a tonelada.

AÇÚCAR

* O açúcar bruto para outubro, cujo vencimento expira no dia 30 de setembro, fechou em queda de 0,39 centavo de dólar, ou 2,0%, em 19,10 centavos de dólar por libra-peso.

* Os operadores disseram que o mercado pode subir no curto prazo, com a produção continuando a decepcionar no Brasil, maior produtor. Eles também mencionaram que as exportações da Índia, um importante produtor, estão diminuindo à medida que o mercado interno se recupera.

* O açúcar branco para dezembro fechou em queda de 9,10 dólares, ou 1,8%, em 504,30 dólares a tonelada.

* O Paquistão emitiu uma nova licitação internacional para comprar 50 mil toneladas de açúcar branco, depois de não ter feito nenhuma compra no leilão anterior de 200 mil toneladas, disseram traders europeus.

(Reportagem de Marcelo Teixeira e Maytaal Angel)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).