Se você faz compras com frequência pela internet deve ter notado que várias encomendas chegaram sem NF (nota fiscal) de papel. Até pouco tempo atrás, as NFs eram emitidas, dobradas, colocadas dentro de um plástico e coladas do lado de fora dos pacotes antes de serem enviadas para a casa do cliente. Aos poucos, esse processo começa a mudar.

Por que a NF de papel não chega mais com o pedido? Não é que ela não chega: a NF é acessada agora eletronicamente. É que as empresas de comércio eletrônico estão autorizadas a enviar somente o Danfe (Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica) Simplificado junto com o produto para o cliente.

“No ano passado, uma nota técnica do governo permitiu que as empresas de comércio eletrônico substituíssem a NF física pelo Danfe Simplificado”, disse Renata Queiroz, consultora da IOB/ao³.

Como reconheço esse Danfe Simplificado? Ele é uma etiqueta que vem grudada na embalagem de compra. Diferentemente da NF de papel, ela não informa qual é o produto que está dentro do pacote.

“Na etiqueta, estão os dados do vendedor e do comprador, código de barra e chave de acesso à NF-e. O lado bom é que a etiqueta não informa mais o que tem lá dentro”, afirma Renata.

Como faço para acessar minha NF? A loja tem que enviar para o e-mail do cliente o documento fiscal. “Esse Danfe completo contém todas as informações da NF, inclusive detalhes dos produtos que não vão na etiqueta. Na etiqueta é impresso o código de barras referente à chave de acesso da NF. Com esta chave, o consumidor pode acessar as informações da NF no portal da NF Eletrônica”, afirma Rodolfo Manoel, gerente de produto e ofertas de tecnologia fiscal da Linx Bridge.

O que o comércio ganha com isso? Os e-commerces ganham tempo na hora de despachar os produtos e reduzem gastos com papel. Alguns estudos apontam para uma economia de até 40% dos custos de envio das mercadorias.

“É muito mais prático emitir uma etiqueta e colar na caixa. Com a NF de papel, o funcionário tem que emitir o documento, dobrá-lo, colocá-lo em um saquinho e colar na embalagem. E ainda havia o risco de o documento sumir ou se perder”, diz Renata.

O cliente ganha a segurança de que ninguém sabe o que está comprando. “Além disso, há aumento da segurança no transporte, já que não há mais a exigência de que a descrição do produto transportado esteja à mostra fora da caixa. Isso pode diminuir a possibilidade de roubos”, afirma Rodolfo.

Muda alguma coisa na hora de trocar ou requerer o conserto do produto? Rodolfo diz que não. “Não há diferença no momento de trocar ou reivindicar um conserto ou mesmo troca, pois o cliente possui acesso à NF completa de outras maneiras.”

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).