Por Eduardo Simões

SÃO PAULO (Reuters) – O Instituto Butantan, responsável pelo envase no Brasil da CoronaVac, vacina contra Covid-19 do laboratório chinês Sinovac, espera que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorize a aplicação do imunizante em crianças a partir de 3 anos, disse neste domingo o presidente do instituto, Dimas Covas.

Em entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo do Estado de São Paulo ao qual o Butantan é vinculado, Covas disse que, para isso, foram entregues à Anvisa os resultados de um estudo feito na China que mostrou que a CoronaVac é segura e induz resposta imune entre pessoas de 3 a 17 anos de idade.

“O estudo de segurança em crianças a partir dos 3 anos já está de posse da Anvisa. Esperamos que seja incorporada essa utilização na autorização de uso emergencial (da CoronaVac) sem a necessidade de estudos adicionais feitos aqui no Brasil”, disse o presidente do Butantan.

Pouco antes, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou a antecipação do prazo para aplicar uma dose de uma vacina contra Covid-19 nas pessoas com mais de 18 anos de idade em São Paulo para o dia 20 de agosto e a intenção de vacinar, também com ao menos uma dose, os adolescentes de 12 a 17 anos até 30 de setembro.

No momento não há uma previsão de vacinação de crianças contra a Covid-19.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).