Por Ana Mano

SÃO PAULO (Reuters) – A processadora de alimentos brasileira BRF quer persuadir a Qatar Investment Authority (QIA) a permanecer parceira na TBQ Foods e manter sua participação de 40% na empresa, segundo um executivo da BRF.

A TBQ controla a Banvit, referência na produção de carne de frango da Turquia, que também é um dos maiores mercados de carne “halal” do mundo.

Em uma breve entrevista por telefone nesta terça-feira, o diretor financeiro da BRF, Carlos Moura, disse que a opção de venda da participação da QIA na TBQ faria a BRF pagar cerca de 468 milhões de reais pela fatia, com base nas informações financeiras do terceiro trimestre.

A BRF atualmente detém 60% da TBQ.

“É um privilégio que poucas companhias têm, ter um fundo soberano somo parceiro”, disse Moura.

“Eles são excelentes sócios e estão ajudando no plano de expansão da companhia”, observou Moura, referindo-se à Banvit, que é controlada pela TBQ por meio de uma participação de 91%.

A BRF se tornou parceira da Qatar Investment Authority e acionista da Banvit em 2017, visando aumentar sua participação no mercado de alimentos “halal”, que exige que o abate do animal seja feito de acordo com os preceitos da religião islâmica.

O executivo disse que a BRF tem caixa suficiente para pagar a participação se a QIA desistir do investimento, com impacto mínimo nos seus indicadores de endividamento.

Ele preferiu não discutir se a QIA concordaria em manter uma participação menor na TBQ ou se aceitaria qualquer outro acordo, já que os detalhes das negociações em andamento são confidenciais.

Em um comunicado ao mercado no início do dia, a BRF disse que a QIA estendeu o prazo para eventualmente exercer a opção de venda relacionada à TBQ até 15 de dezembro.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).