O brasileiro mudou muito seu padrão de consumo desde o início da quarentena. No começo da quarentena, as pessoas correram aos supermercados e farmácias para fazer estoques, passaram a gastar mais com apps de comida e cortaram despesas com lazer, turismo e compras.

Quatro meses depois, muitos desses gastos voltaram a um patamar de normalidade, bem parecido com o período pré-pandemia. Levantamento feito pelo Guiabolso a pedido do 6 Minutos mostra que o percentual de pessoas com gastos com supermercado, por exemplo, estava em 56% no começo de julho – antes da pandemia, esse percentual era de 55%. Veja abaixo:

Tipo de gasto02 a 08/03 (pré-pandemia)16/03 a 22/03 (primeira semana de quarentena)29/06 a 05/07
Mercado55,75%60,34%56,47%
Farmácia24,20%27,72%20,80%
Compras52,48%48,69%49,12%
App de comida10,52%12,94%15,41%
App de transporte23,64%17,45%12,22%
Viagens8,38%6,55%4,49%
Cuidados pessoais13,79%9,39%8,62%
Lazer10%6,59%6,20%

O que isso significa? No caso dos supermercados, as pessoas perceberam que não precisam correr para fazer estoque, pois não vai haver desabastecimento de produtos. Já a normalidade do patamar de gasto com compras reflete um pouco a reabertura do comércio.

“Aos poucos, dá para perceber que o percentual de pessoas que faz essas despesas voltou ao patamar anterior à pandemia, caso do mercado e das compras. Isso reflete um pouco a reabertura da economia e volta das pessoas a seus trabalhos”, diz Yolanda Fordelone, economista do Guiabolso.

Como foi o padrão de gasto na 1ª semana de quarentena? Muita compra de supermercado.

  • Supermercado: R$ 330,15, alta de 37,73% em relação à semana anterior
  • Farmácia: R$ 88,90, crescimento de 17,75%
  • Apps de transporte: R$ 44,51, queda de 23,59%
  • Apps de comida: R$ 76,91, alta de 17,12%

Em que momento as pessoas gastaram mais? Na 5ª semana de quarentena (13 a 19 de abril), os gastos com supermercado e farmácia foram muito mais altos.

  • Supermercado: R$ 397,42, alta de 65,80% em relação à semana anterior à quarentena
  • Farmácia: R$ 91,67, crescimento de 21,42%
  • Apps de transporte: R$ 39,12, queda de 32,84%
  • Apps de comida: R$ 96,70, alta de 47,25%

O que mudou desde então? O levantamento, que acompanha as despesas realizadas até a 15ª semana (de 29 de junho a 5 de julho), mostra que as pessoas continuam gastando mais com supermercado e farmácia, mas menos do que no no começo da quarentena.

Já os gastos com apps de transporte continuam caindo, enquanto avançam as despesas com apps de comida.

    • Supermercado: R$ 271,70, alta de 13,35% em relação à semana anterior à quarentena
    • Farmácia: R$ 84,37, crescimento de 11,75%
    • Apps de transporte: R$ 42,04, queda de 27,83%
    • Apps de comida: R$ 101,92, alta de 55,20%

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).