RIO DE JANEIRO (Reuters) – O Brasil publicou no ano passado 30 autorizações de importação de gás natural em 2020, mais do que a soma dos últimos sete anos, afirmou nesta sexta-feira o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, ao comentar que o programa Novo Mercado de Gás, que busca ampliar o setor, “já está acontecendo”.

Albuquerque afirmou ainda que os pedidos de autorização para contratação de serviços de transporte dutoviário de gás natural passaram de uma média de três por ano até 2018 para um total de 49 entre janeiro de 2019 e dezembro de 2020, após medidas do governo em curso.

Ao falar em cerimônia de posse do novo diretor-geral da agência reguladora ANP, Rodolfo Saboia, transmitida pela internet, Albuquerque disse esperar que o Congresso Nacional aprove a nova lei do gás no início de 2021.

“Após a aprovação da nova lei do gás no Congresso Nacional, que esperamos para o inicio de 2021, destaco importante papel da ANP e uma grande agenda regulatória necessária para a implementação do desenho do novo mercado de gás natural do país”, afirmou Albuquerque.

PRODUÇÃO DE PETRÓLEO

No campo do petróleo, Albuquerque destacou que o Brasil produziu em 2020 3 milhões de barris por dia (bpd) e exportou, em média, 1,4 milhão de bpd, sendo que em maio as exportações atingiram 1,9 milhão de bpd.

“O Brasil bateu recordes de exportação de petróleo”, reiterou o executivo.

Na véspera, a Petrobras, principal produtora do país, informou ao mercado produção de 2,28 milhões de bpd de petróleo e 2,84 milhões de barris de óleo equivalente por dia em 2020, superando o recorde anterior, de 2015.

(Por Marta Nogueira)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).