O Novo Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), divulgado nesta terça-feira (26), revelou que foram criados 313,9 mil novos postos formais de trabalho no Brasil durante o mês de setembro de 2021.

Ainda segundo dados do governo, a quantidade total de vínculos ativos no mês de setembro foi de 41,9 milhões, o que representa alta de 0,76% em relação ao mês anterior. Foi registrado saldo de 2,5 milhões de empregos no acumulado do ano.

Atividade

O agrupamento que mais gerou empregos foi o setor de serviços, com 143 mil novos postos em setembro, concentrados principalmente nas áreas de informação, comunicação e atividades financeiras, imobiliárias, profissionais e administrativas.

Os outros quatro agrupamentos principais também registraram saldo positivo: indústria (76 mil postos), comércio (61 mil postos), construção (24 mil postos) e agropecuária (9 mil postos).

Região

Na divisão regional, o Sudeste foi a região que mais criou empregos (139 mil postos), seguida do Nordeste (90 mil), depois Sul (47 mil), Centro-Oeste (21 mil) e Norte (16 mil).

As unidades federativas com maior saldo foram São Paulo, com 85 mil postos (+0,66%), Minas Gerais, com 29 mil (+0,66%), e Pernambuco, que criou mais 26 mil postos (+2,01%) em setembro.

As regiões que obtiveram os menores saldos foram Amapá, com mais 281 postos (+0,40%), Rondônia, com 388 postos (+0,15%), e Roraima com 546 (+0,90).

Salário

Em setembro, o salário médio registrado em nível nacional foi de R$ 1.795,46. Em comparação com o mês de agosto, o valor representa uma redução real de – R$ 18,11, uma variação leve de aproximadamente um ponto percentual para baixo, o que sinaliza uma tendência de estabilidade segundo o governo.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).