SÃO PAULO (Reuters) – O crédito rural oficial para investimentos no campo encerrou a temporada 2020/21 (julho/junho) no Brasil com alta de 56% na comparação com o ciclo anterior, somando 76,27 bilhões de reais, informou o Ministério da Agricultura nesta terça-feira.

O montante ainda superou em 34% a programação inicial, segundo o ministério em nota.

Com forte demanda para investimentos nas propriedades, em momento em que os preços das commodities impulsionam o setor rural, o governo federal elevou a programação de recursos para esse fim no novo Plano Safra 2021/22, enquanto reduziu o total destinado ao custeio.

No plano 20/21, encerrado em junho, as aplicações do crédito oficial no custeio alcançaram 135,3 bilhões de reais, alta de 27% em relação a temporada anterior.

Já o financiamento da comercialização recebeu 25,4 bilhões de reais (+10%) e a industrialização 12,5 bilhões de reais (+15%). As operações de Cédula do Produto Rural (CPR) e com agroindústria somaram 22 bilhões de reais, queda de 9%.

No que se refere aos segmentos, o crédito aos beneficiários foi concedido por meio de bancos públicos (55%), privados (24%), cooperativas de crédito (20%) e bancos de desenvolvimento e agências de fomento (1%).

Na comparação com a safra anterior, as cooperativas tiveram um ganho de 2% e os bancos públicos de 1% na participação do volume total de contratações.

(Por Roberto Samora)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).