Os governos de Brasil e México deram o primeiro passo para um acordo de livre comércio entre os países, as duas maiores economias da América Latina. A informação foi anunciada por Marcos Troyjo, secretário especial de Comércio Exterior, e confirmada pelo Ministério da Economia mexicano.

Qual é o contexto? O governo brasileiro já havia sinalizado que concentraria esforços em acordos comerciais com outros países e que os mexicanos, assim como os Estados Unidos, seriam prioridade. Ainda não se sabe qual é o formato do acerto, se de fato a negociação resultará em livre comércio, mas o início formal das negociações é um passo importante nesse sentido.

O que o Brasil pode ganhar com isso? Em momento de tensão global, como a que envolve Estados Unidos e China, países em desenvolvimento são mais prejudicados. Nesse cenário, estreitar conversas com parceiros comerciais pode minimizar danos.

Durante sua exposição em um evento em São Paulo, Troyjo afirmou que “o Brasil tem um interesse mais imediato em aumentar suas exportações de commodities agrícolas para o México”.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).