Não haverá recuperação sustentável da economia enquanto o mercado de trabalho não melhorar. Nesse contexto, o governo acaba de divulgar uma boa notícia: o país registrou a criação de 157.213 vagas formais de emprego em setembro, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgado nesta quinta-feira (17) pelo Ministério da Economia.

Foi o melhor resultado para o mês desde 2013, quando foram criados 211.068 com carteira de trabalho, ou seja, com todos os direitos previstos na CLT para o funcionário.

No acumulado do ano até setembro, foram criados 761.776 empregos no Brasil, segundo o Caged. É um número 6% mais alto do que no mesmo período do ano passado (719.089 vagas).

Quais setores puxaram a criação do emprego? Serviços e indústria. Mas os resultados foram amplamente positivos: 7 dos 8 setores mais criaram do que fecharam vagas. Confira:

Serviços: 64.533 vagas

Indústria da Transformação: 42.179

Comércio: 26.918

Construção Civil: 18.331

Agropecuária: 4.463

Extrativa Mineral: 745

Administração Pública: 492

Serviços Industriais de Utilidade Pública: -448 vagas

A melhora se deu também em todo o país? Sim. Pela primeira vez neste ano, os 27 estados tiveram criação líquida de vagas. Os estados que mais geraram empregos em setembro foram São Paulo (+36.156 postos), Pernambuco (+17.630) e Alagoas (+16.529).

Por regiões, o Nordeste apresentou o maior saldo positivo em setembro, com um total de 57.035 empregos. Em seguida ficou o Sudeste (+56.833 vagas) e, em terceiro, o Sul (+23.870). O Centro-Oeste ficou em quarto lugar (+10.073 vagas), e o Norte, em quinto (+9.352).

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).