O presidente Jair Bolsonaro utilizou as redes sociais para negar informações publicadas hoje e atribuída a integrantes da equipe econômica de que haveria cortes em programas sociais para financiar o Renda Brasil, novo do programa que iria substituir o Bolsa Família. Ele negou extinção de programas de auxílio a idosos carentes e deficientes e disse que Renda Brasil não sairá do papel.

“Até 2022, no meu governo, está proibido falar de Renda Brasil. Vamos continuar com o Bolsa Família e ponto final”, afirmou ele em vídeo publicado no Twitter.

Segundo ele, os beneficiários de programas sociais não serão prejudicados em nome do Renda Brasil. “Eu já disse que jamais vou tirar dinheiro dos pobres para dar aos paupérrimos.”

Qual o contexto de tudo isso? O vídeo foi uma reação de Bolsonaro às notícias publicadas hoje por diversos jornais:

  • Folha de S. Paulo: Governo quer corte de R$ 10 bi ao ano em benefício para deficientes e idosos
  • O Globo: Governo estuda congelar aposentadoria por dois anos para bancar Renda Brasil
  • O Estado de S.Paulo: Economia propõe congelar aposentadorias para criar o Renda Brasil
  • Correio Braziliense: Em prol do Renda Brasil, governo estuda suspender reajuste dos aposentados

O que o presidente disse sobre essas notícias? Ele desautorizou os integrantes da equipe econômica que deram essas informações. Deu um cartão vermelho.

“Acordei surpreendido hoje por manchetes em todos os jornais. […] Quem porventura vier a propor uma medida como essa, só posso dar um cartão vermelho para essa pessoa. É gente que não tem o mínimo de coração e entendimento de como vivem os aposentados. De onde veio? Pode ser que alguém da equipe econômica tenha falado sobre esse assunto. Mas jamais vamos congelar salário de aposentado, jamais vamos fazer com que auxílio para idosos seja reduzido para qualquer coisa que seja.”

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu WhatsApp? É só entrar no grupo pelo link: https://6minutos.uol.com.br/whatsapp.